19/12/2020

Marinha dos EUA será mais agressiva contra China e Rússia em 2021


 A Marinha dos Estados Unidos terá de ser mais agressiva em 2021 para conter a as ambições da Rússia e, principalmente, da China.


É o que diz um novo relatório do Pentágono, divulgado nesta sexta (18), e assinado pelos chefes da Marinha, dos Fuzileiros Navais e da Guarda Costeira da maior potência naval do mundo.


Enquanto a Rússia, única potência com arsenal nuclear comparável ao dos EUA, segue sendo um "rival determinado", o documento foca bastante no desenvolvimento da animosidade entre Washington e Pequim.


"A China é o único rival com potencial econômico e militar combinado que apresenta uma ameaça estratégica compreensiva de longo prazo aos EUA", sentencia o Pentágono.


Os americanos operam 14 submarinos nucleares, contra 10 russos e 4 chineses, empatando com Pequim em modelos de ataque convencionais (53 contra 54, enquanto Moscou tem 39).


Mas só os EUA têm porta-aviões nucleares no grupo, 11 deles, formando uma inigualável força de projeção de poder. Os chineses operam dois convencionais e os russos mal conseguem tirar o seu único do estaleiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário