18/12/2020

Juiz nega recontagem de votos e ‘dá bronca’ em ex-candidato, na Paraíba: “Se conforme”


 O juiz Euler Paulo de Moura Jansen, da 61° zona Eleitoral de Bayeux, indeferiu um pedido de recontagem de votos feito pelo ex-candidato a vereador Advanilton dos Santos Amarante (PTB). Na decisão, o juiz deu uma ‘bronca’ do político.


Advanilton pediu recontagem por “considerar haver divergência ao resultado divulgado oficialmente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”. O Juiz foi incisivo na sua decisão, ao apontar que o ex-candidato não tinha embasamento para o pedido.


“Provavelmente o ex-candidato está com muito tempo livre. Coisa que não temos aqui nesta Justiça Eleitoral nem na Comum da qual continuamos a atuar cumulativamente. Inconsistência com o que? Com o seu “achar”? Cadê a prova dessa inconsistência? Trouxe algum BU colado em porta de seção que teve voto diferente?”, disse.


Ele continuou justificando a decisão e, ao fim, defendeu a existência do sigilo do voto.


“Não existe isso de recontagem no sistema eletrônico de votação e apuração, pois o computador, quando soma 1+1, nunca vai dar diferente da soma que fez na primeira vez. Se ninguém nunca lhe disse isso, eu vou dizer: o sigilo do voto e a indevassabilidade da cabine de votação servem de fato para o eleitor trair quem ele disse que ia votar e, efetivamente, votar noutro que ele realmente queira… ou seja, servem para o eleitor ficar longe de promessa, longe de conveniência e perto, apenas, de sua vontade. Se conforme”, argumentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário