08/12/2020

Após 800 anos, 'Estrela de Natal' volta a aparecer em dezembro


 Desafiador é um dos termos que vem à mente quando se trata de descrever o ano de 2020. No entanto, ele promete terminar com um pouco mais de otimismo do que iniciou. Pelo menos se a pessoa acredita em sinais celestes. Após 800 anos, a “Estrela do Natal” ou “Estrela de Belém” poderá ser vista no dia 21 de dezembro.


O fenômeno ocorre a partir do raro alinhamento entre Júpiter e Saturno, que ficarão extremamente próximos e criarão um ponto de luz radiante. Desde a Idade Média, o fenômeno, que cientificamente é conhecido como “A Grande Conjunção”, não é registrado.


“Ocorre uma vez a cada 20 anos ou mais, mas essa conjunção é excepcionalmente rara por causa de quão próximos os planetas parecerão estar um do outro. Você teria que voltar até pouco antes do amanhecer de 4 de março de 1226 para ver um alinhamento visível desse no céu noturno”, explicou o astrônomo Patrick Hartigan, pesquisador da Rice University, em entrevista para a Forbes.


Segundo o pesquisador americano, a impressão que se terá é que eles estarão a apenas meia lua de distância e poderão até colidir. A “Estrela do Natal” será visível de qualquer lugar da Terra por cerca de uma hora após o pôr do sol no Hemisfério Norte, na penúltima semana de dezembro. A previsão é que o fenômeno se repita no dia 15 de março de 2080.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário