25/07/2020

Andressa Urach revela quanto cobrava por programa e fetiches dos clientes

Andressa Urach abriu o jogo sobre seu passado. Hoje em dia ela é uma escritória evangélica, mas anos atrás ela trabalhava como garota de programa, enfrentava vícios em drogas e se relacionou com o mundo do crime. Em entrevista ao colunista Leo Dias, do “Metropoles”, ela contou como começou a se prostituir.

A ex-participante de “A Fazenda” contou que trabalhava ganhando mil reais por mês, mas quando fez o primeiro programa ganhou isso em uma noite. “Eu fui para o programa e o cliente era um cliente lindo, novo. Então, aos meus olhos, parecia uma grande oportunidade de mudar de vida. Aí eu foquei. Eu disse assim: eu vou trabalhar de segunda a segunda. Eu trabalhei muito. Eu cheguei a dormir com até 7 homens em um único dia”, ela revelou.

A dançarina contou que submeteu a situações que considerava nojentas, para ganhar mais dinheiro. “O masoquismo, sadomasoquismo em que você aceita ser agredida. A coisa mais nojenta e que mais se pagava é você se submeter a urinar e defecar no cliente ou vice e versa”, falou. “Você, por exemplo, ter que botar a sua mão dentro da parte íntima desse homem. Coisas que depois a sua cabeça pira. Porque na hora que tem o dinheiro, você fica: pensa no dinheiro! Só que depois tu se sente suja. Eu lembro assim que eu ia para debaixo do chuveiro e eu passava álcool e a sujeira estava dentro de mim. E aquilo não saía mais da minha cabeça. Eu perdi totalmente o valor próprio, os valores, os princípios. Eu só pensava no dinheiro”, desabafou.

Andressa contou que via as famosas ganhando mais pelos programas e disse que foi por isso que decidiu entrar no mundo das celebridades. Ela chegou a ser dançarina do Latino e relembra que se expunha muito nessa época, para conseguir emplacar uma notícia por semana. Foi depois de “A Fazenda” que a escritora bombou nos holofotes e revela que após o reality começou a cobrar em média R$ 15 mil por programa, mas já ganhou até R$ 30 mil.

Conversão

Andressa diz que hoje ela sofre mais julgamento das pessoas por ter se convertido do que na época que era garota de programa. Entretanto, ela considera que isso seja algo normal e conta que antes de entrar no mundo religioso ela também pensava dessa maneira e diz que não tinha muitas crenças.

“Eu tinha mágoa de Deus. Porque eu fui abusada sexualmente na infância. Aí eu pensava assim: ‘onde é que estava Deus que me deixou ser abusada?’. Então eu tinha muita raiva, eu tinha muito ódio no meu coração. Eu tinha sede de vingança. Dentro de mim, existia um turbilhão de emoções a ponto de explodir como uma panela de pressão”, a escritora conta.


Atualmente, Andressa garante que doou todo o dinheiro que ganhou na época da prostituição e com a venda de seus livros. Ela fala que vive apenas com o salário que ganha da Record por apresentar um programa na filial do Rio Grande do Sul. A ex-garota de programa também se prepara para lançar uma música incentivando mulheres a saírem da prostituição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário