09/06/2020

Após estonteantes 7 meses, OMS descobre que não ocorre transmissão de covid-19 em casos assintomáticos

Pacientes com coronavírus, mas assintomáticos, não têm potencial para infectar outras pessoas, disseram autoridades da Organização Mundial da Saúde nesta segunda-feira, colocando em conflito as afirmações de alguns pesquisadores de que a doença pode ser difícil de conter devido às “pessoas assintomáticas”.

Algumas pessoas, particularmente indivíduos jovens e saudáveis, infectados pelo coronavírus nunca desenvolvem sintomas ou apenas desenvolvem sintomas leves. Outros podem não desenvolver sintomas até dias após serem realmente infectados.

Evidências preliminares dos primeiros surtos indicaram que o vírus poderia se espalhar pelo contato pessoa a pessoa, mesmo que o portador não apresentasse sintomas. Mas as autoridades da OMS dizem agora que, embora a propagação assintomática possa ocorrer, essa não é a principal maneira de transmissão.

“A partir dos dados que temos, ainda parece raro que uma pessoa assintomática realmente transmita adiante para um indivíduo secundário”, disse a Dra. Maria Van Kerkhove, chefe da unidade emergente de doenças e zoonoses da OMS, em entrevista à ONU. sede da agência em Genebra. “É muito raro.”

As respostas do governo devem se concentrar na detecção e isolamento de pessoas infectadas com sintomas e no rastreamento de qualquer pessoa que possa ter entrado em contato com elas, disse Van Kerkhove. 
Ela reconheceu que alguns estudos indicaram disseminação assintomática ou pré-sintomática em casas de repouso e em ambientes domésticos.

São necessárias mais pesquisas e dados para “responder verdadeiramente” à questão de saber se o coronavírus pode se espalhar amplamente por portadores assintomáticos, acrescentou Van Kerkhove. Se a disseminação assintomática provar não ser o principal fator de transmissão do coronavírus, as implicações políticas podem ser tremendas.

Um relatório dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, publicado em 1º de abril, citou o “potencial de transmissão pré-sintomática” como uma razão da importância do distanciamento social.

“Essas descobertas também sugerem que, para controlar a pandemia, pode não ser suficiente apenas pessoas com sintomas limitarem seu contato com outras pessoas, porque pessoas sem sintomas podem transmitir infecção”, afirmou o estudo do CDC.

Para ter certeza, a disseminação assintomática e pré-sintomática do vírus ainda parece estar acontecendo, disse Van Kerkhove, mas continua raro. Essa descoberta tem implicações importantes sobre como rastrear o vírus e limitar sua propagação.

“O que realmente queremos focar é seguir os casos sintomáticos”, disse Van Kerkhove. “Se realmente seguíssemos todos os casos sintomáticos, isolássemos esses casos, seguíssemos os contatos e os colocássemos em quarentena, reduziríamos drasticamente” o surto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário