15/10/2019

Márcia Fellipe pede desculpa por comentário criticando canonização de Irmã Dulce: “Falei sobre o que a Palavra nos diz”

A forrozeira Márcia Fellipe transmitiu uma live em seu Instagram, no último domingo (13), para se desculpar pela crítica feita à canonização de Irmã Dulce, freira baiana santificada no mesmo dia.  “Eu peço aqui desculpa. Não falei sobre religião. Falei sobre o que a Palavra nos diz. Muita coisa que a gente vê acontecendo no meio do mundo, ela é feita pelo homem. Assim, tem gente distorcendo que eu tenho intolerância a religião, em nenhum momento”, explicou.
Em uma publicação sobre o título concedido a Dulce, Márcia havia opinado: “Ajudar o próximo, sim! Mas não faz nenhum ser humano ser ‘santo’. Santo só o senhor Jesus Cristo. Não se deixem enganar. ‘E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará’. João 8:32”.
O comentário não foi bem recebido pelos usuários do Instagram. “Ridícula, que falta de respeito. Quem é você para dizer o que é certo e o que é errado? Lê a bíblia inteira e não sabe o significado de cada palavra. Sua leitura foi em vão. Leia novamente e compreenda as suas palavras, você não é digna de dizer nada. Respeite a religião dos outros. Não nos metemos na sua”, rebateu um internauta. “Cadê o respeito pela religião dos outros?”, questionou outro.
Ao vivo em sua conta no Instagram, a cantora ainda afirmou que está em busca de evolução. “Hoje, eu só a pior de todo o mundo. Se botar o mundo todo, eu sou o pior ser humano. Sou a mais pecadora de todas, mas eu tenho buscado e espero que eu possa nascer de novo em Cristo. Que isso fiquei claro para todo mundo. Não tenho intenção de ofender ninguém. Aqui no nosso país tem disso. Eu, que não sou nem subcelebridade, trabalho para sustentar meus filhos. Canto para sustentar minha casa. Eu não almejo ser renomada, ser isso ou aquilo. Quem trabalha comigo me conhece. Não tenho essa vaidade. Sou grata Deus por ele abrir as portas. Grato aos que vão aos meus shows”, disse.
Em meio à polêmica, internautas pedem que a cantora fique de fora da Festa de Luz, em Guarabira, como forma de protesto, já que o evento tem um cunho religioso. Até o presente momento a Prefeitura não se posicionou.